Notícias e Artigos

Saiba como fazer orçamento familiar e sair do vermelho

DATA: 12/05/2017

Colocar as contas em dia pode ser um desafio, principalmente para quem não tem o hábito de planejar. Para ajudar os iniciantes na educação financeira,  procuramos um professor de finanças para explicar como começar.

José Kobori é professor de finanças no curso de pós-graduação do Ibmec Brasília. Ensina todos os dias a gerentes de bancos e empresários. Segundo ele, os princípios básicos são os mesmos e ter tudo anotado é fundamental. Por isso, ele aconselha criar um orçamento.

“Assim como tudo na vida, se você tem só a ideia na cabeça, corre o risco de esquecer”, pondera. “O ideal é que se anote tudo. É preciso ter uma planilha onde se discrimina todas as receitas e despesas”, recomenda o professor.

Ter um orçamento, na avaliação de Kobori, ajuda a manter o foco e a atingir um objetivo final. Ele lembra que hoje em dia montar um orçamento foi facilitado pela tecnologia. Existe uma série de planilhas para computador e programas para celular que podem ser baixados.

Planejamento financeiro com o celular

Alguns desses programas de celular fazem o trabalho praticamente sozinho. Se a pessoa usa internet bank, esse App faz uma conexão com ele e separa todos os seus gastos por mês e avalia se você precisa gastar menos.

Para quem não gosta do mundo virtual, a opção pode ser imprimir uma tabela ou o bom e velho caderninho de anotações. “O importante é dar o primeiro passo”, afirma o professor.

Como cortar gastos

Pensar em um fluxo de gastos também ajuda. Se você recebe um salário mensal, imagine as despesas que terá dentro dos próximos meses. Registre em cada mês tudo o que você imagina que precisa gastar e veja se os seus ganhos são suficientes para aquele estilo de vida.

Prever um valor para gastos extraordinários também é recomendado. “Sempre ter um dinheiro a mais para remédio ou alguma emergência. Se isso não for previsto, a pessoa fica no vermelho”, argumenta.

Como guardar dinheiro

Kobori recomenda ainda fazer uma poupança para os gastos de início de ano, como as despesas com IPTU, IPVA, material e escolar e matrícula. São valores que normalmente já se sabe com antecedência e, por isso, é possível planejar esses gastos.

Poupar também pode entrar na tabelinha de planejamento financeiro. O professor sugere que a pessoa defina um valor a ser aplicado mensalmente e que o torne uma obrigação, como se fosse uma prestação. O depósito tem de ser feito todo início de mês, quando o salário entrar.

Veja maisVeja mais